Notícia

Estudo feito pelo BNDES mostra futuro da IoT no Brasil

Estudo feito pelo BNDES mostra futuro da IoT no Brasil
Três áreas serão frentes prioritárias na execução de políticas públicas focadas da Internet das Coisas (IoT) no Brasil: Cidades Inteligentes, Saúde e Agronegócio. A conclusão está no estudo técnico “Internet das Coisas: Um Plano de Ação para o Brasil”, que servirá de base para o Plano Nacional de IoT, previsto para ser lançado ainda este ano.

Financiado pelo BNDES e executado pela consultoria McKinsey, o documento aponta ainda outros segmentos relevantes para a economia brasileira e por sua agenda de inovação em curso: as indústrias de base (Petróleo & Gás e Mineração) e manufatureira (Têxtil e Automotivo).

Os 3 eixos da iniciativa brasileira para IoT são os seguintes:


1. Cidades: Elevar a qualidade de vida por meio da adoção de tecnologias e práticas que viabilizem a gestão integrada dos serviços para o cidadão e a melhoria da mobilidade, da segurança pública e da gestão dos recursos (energia, esgoto e resíduos). 

2. Saúde: Ampliar o acesso da população aos serviços de saúde de qualidade por meio da descentralização da atenção à saúde, da integração das informações dos pacientes e da melhoria de eficiência das unidades de saúde. 

3. Agronegócio: Aumentar a produtividade e a relevância do Brasil no comércio mundial de produtos agropecuários, com elevada qualidade e sustentabilidade socioambiental, além de posicionar o país como o maior exportador de soluções de IoT para agropecuária tropical.

Setor em expansão
Em 2016, o mercado de Internet das Coisas (IoT) no Brasil movimentou US$ 1,35 bilhão, sendo que a indústria automotiva e as verticais de manufatura foram as mais significativas, de acordo com mapeamento feito pela Frost & Sullivan intitulado “O Mercado industrial brasileiro de Internet das Coisas, Cenário para 2021”.

Este estudo define IoT como objetos de uso cotidiano — de veículos a equipamentos para cafeterias em hotéis — que são conectados à internet (comunicação de mão dupla) e que podem estar conectados uns aos outros.

Apresentado durante a 6ª edição do Growth, Innovation and Leadership Summit, em São Paulo, o levantamento projetava um crescimento significativo para o mercado de IoT, que deve alcançar receitas de US$ 3,29 bilhões em cinco anos — a estimativa de receita se refere a hardware (módulo de conectividade e outros componentes), software e serviços diretamente ligados a soluções IoT.
 
Fonte: BNDESCanaltech e Instituto Information Management
  • Enviado por: Marketing & Communication