Notícia

10 tendências em wearables

10 tendências em wearables
Em janeiro deste ano, um dos principais sites dedicado ao tema, o Wearable.com, publicou um guia com as 50 previsões de uso da tecnologia wearable para 2017 (para ver clique aqui). O guia está longe de esgotar o rol de possibilidades de aplicação.

Embora tenha havido decepção nos resultados financeiros recentes e especialistas sugerindo que metade dos novos usuários desistem de wearables entre 3 e 6 meses, novas tendências em dispositivos vestíveis estão surgindo e impulsionarão o crescimento dessa tecnologia, principalmente na área de esportes e na saúde.

Segundo dados do IT Forum 365, o mercado de wearables baterá a marca de 200 milhões de unidades vendidas em 2020 e apontam a melhor conectividade associada aos novos aplicativos como fatores para impulsionar o negócio.

O futuro? Wearables mais personalizados - aprendendo hábitos e estilo de vida dos usuários, assim como absorvendo e analisando mais fluxos de dados – o que levaria, por exemplo, a sugerir o que uma pessoa deveria vestir se uma chuva for prevista para a noite. Ou saber que tipo de vinho sua nova namorada gosta de beber, sem perguntar para ela...

Saiba quais são as 10 tendências em wearable que estarão direcionando o uso de dispositivos vestíveis:


1- Moda. Além dos smartwatches, existem joias inteligentes disponíveis, combinando alertas, NFC e até monitoração de frequência cardíaca. A tendência fashiontech segue pelas roupas, sapatos e outros acessórios.
2- Dispositivos Vestíveis “Invisíveis”. Uso de cintas, rastreadores, tecidos e tiras melhoram em sensibilidade e tornam a tecnologia wearable mais atraente, confortável e próxima do não-tecnológico.
3- Wearables Mais Inteligentes. Os dispositivos vestíveis estão se tornando mais inteligentes, tanto os produtos como os aplicativos. A maioria dos wearables recentes tem o modo “ocioso” incorporado, por exemplo. Novos aplicativos integram dados de vários dispositivos, telefone e até mesmo contas de redes sociais.
4- Sensores Sofisticados. Wearables estão cada vez mais refinados, o que permite monitoramentos contínuos, por exemplo, nos cuidados de saúde (estresse, diabetes, lactose etc). Dispositivos de uso interno, sob a pele ou “comestíveis”, estão sendo desenvolvidos para detectar alterações químicas no corpo. Ingestíveis de novas gerações podem monitorar as reações aos medicamentos para ajudar com o tratamento.
5- Realidade Aumentada. Pokémon GO é apenas o começo. A realidade aumentada vai revolucionar a forma como interagimos com quase tudo. O Google Glass pode não ter sido um mainstream de sucesso, mas está preparando o caminho para a próxima geração.
6- Esportes. Uma das principais tendências da tecnologia esportiva é o tecido inteligente - reunindo dados mais detalhados dos atletas. Sensores inteligentes estão sendo usados ​​para rastrear tudo, visando a melhoria do desempenho, seja para pilotos de corrida ou boxeadores. Outra tendência é usar a tecnologia para melhorar a qualidade de vida do atleta.
7- Saúde Digital. Dispositivos vestíveis estão se tornando cada vez mais significativos nos cuidados da saúde pessoal. Monitoramento passivo de pacientes já auxiliam em vários diagnósticos como apneia do sono e diabetes. Aplicativos portáteis foram desenvolvidos para pacientes epilépticos e podem prever convulsões. Existem wearables para monitorar idosos em caso de queda, aderência à droga ou períodos de inatividade.
8- Big Data e Wearables. Bilhões de dispositivos produzem enormes fluxos de dados. Dados maciços trazem grandes oportunidades de inovação. Wearables podem ajudar no mapeamento de surtos de doenças, melhores rotas de tráfego e previsões de tempo, por exemplo.
9- Wearables Não Utilizáveis. Inovações estão sendo feitas com sensores passivos não usáveis como meio de contornar o desconforto causado por dispositivos vestíveis, reduzindo a necessidade de usar pulseiras, tiras, cintas etc. Os sensores passivos funcionam por ondas de rádio de baixa frequência ou pressão indireta (como em cadeiras ou camas, por exemplo). Câmeras 3D estão sendo usadas como plataformas em interações homem-máquina, com capacidade para monitorar respiração, movimento e frequência cardíaca, usados ​​em reabilitação para pacientes com AVC e até ​​no espaço para medir o peso em astronautas.
10- Aplicativos Wearable e Plataformas Abertas. Estamos começando a ver o deslocamento do modelo wearable one-device-one-function para plataformas abertas executando aplicativos. O relógio iWatch, por exemplo, suporta aplicações para download e possui aplicativos de rastreamento de sono e pode, ainda, controlar apresentações em PowerPoint.

Os dispositivos portáteis precisam percorrer um longo caminho, mas a tecnologia veio para ficar e está se fixando como objeto de desejo dos consumidores em todo o mundo. O mercado agora espera com ansiedade por uma nova geração de produtos: a que será mais elegante, mais prática e mais acessível. Duas meta-tendências - maturação e expansão - continuam a desempenhar um papel importante hoje, como deverá ser nos próximos 10 anos.
 
Fontes: Wearable.com, The Motley Fool, Linkedin Pulse (Justin Lawler) e IT Forum 36
  • Enviado por: Marketing & Communication